Giacomo Leopardi

sábado, 11 de novembro de 2017

(publicado originalmente na página da Academia Peruibense de Letras no Facebook)

Giacomo Leopardi (1798-1837) foi um dos maiores poetas italianos. Educado por um preceptor escolhido por seu pai, desde cedo teve contato com os clássicos gregos e latinos da imensa biblioteca paterna. Na juventude foi vítima de doença que o deixou cego de um olho e o marcou fisicamente para o resto da vida. 

Sua obra é marcada pela melancolia e ceticismo, ressaltando o aspecto trágico da vida humana. Entre suas maiores obras estão a coleção de pensamentos Zibaldone, a coleção de poemas Cânticos e os poemas meditativos Opúsculos morais. Abaixo transcrevemos um trecho desta obra:

Mas como os mortais no primeiro momento de cada dia readquirem uma parte da juventude, assim envelhecem todos os dias e finalmente se extinguem; igualmente o universo no princípio de cada ano renasce e nem por isso deixa de continuamente envelhecer. Tempo virá em que ele e a própria natureza se apagarão. Assim como de grandes reinos e impérios humanos com seus movimentos maravilhosos, famosíssimos em outros tempos, nada resta hoje, de indícios ou fama; o mesmo, do mundo inteiro, dos acontecimentos infinitos e das calamidades das coisas criadas, não restará um vestígio sequer. Apenas um silêncio nu e uma altíssima quietude encherão o espaço imenso. Assim esse arcano admirável e espantoso da existência universal, antes de ser declarado ou compreendido, se extinguirá e se perderá.

(Imagem: retrato de Giacomo Leopardi)

0 comentários:

Postar um comentário