Matsuo Bashô

sábado, 24 de junho de 2017
(publicado originalmente na página da Academia Peruibense de Letras no Facebook)

Matsuo Bashô (1644-1694) ou simplesmente Bashô foi o poeta mais famosos do Japão no período Edo. Bashô, que era filho de um samurai, iniciou sua carreira como pajem de um nobre, quando começou a tomar gosto pela poesia "no renga". Com a morte do nobre, teve que deixar a casa de seu protetor passando a viajar pelo Japão, aprofundando seus estudos sobre o zen-budismo e a poesia.

Foi Bashô quem estabeleceu os cânones da tradicional poesia japonesa do "haikai". Derivado da poesia aristocrática "renga", o haikai passou a assumir diversas formas, todas praticadas por mestre Bashô. Misturando aspectos cômicos e espirituais, o haikai retrata imagens do cotidiano, da natureza e figuras da cultura popular; como o mendigo, o fazendeiro e o viajante.

Bashô publicou uma grande variedade de poemas, a maioria deles ainda inéditos em português. Seu livro mais famoso, Sendas de Oku, reúne seus mais famosos versos. No Brasil, a poesia do haikai também foi praticada por autores como Guilherme de Almeida, Millôr Fernandes e Paulo Leminski. 

Do mestre Bashô selecionamos alguns haikais disponíveis no portal "Nippo Brasil" 
(http://www.nippo.com.br/zashi/2.haicai.mestres/092.shtml), começando com o haikai mais famosos de todos os tempos, "furu ike", "Velho lago":

Olha o velho lago -
Após o salto da rã
O barulho da água.


Abaixo, outros "haikais" do grande poeta:

Ah, lua de outono -
Caminhei a noite inteira
Em torno do lago.

À beira da estrada
A flor do hibisco, e o cavalo
De pronto a comeu!

No pensamento
Um esqueleto abandonado -
Arrepios ao vento.

Bananeira ao vendaval de outono -
Noite de ouvir a chuva
Pingando numa bacia.

Sobre o galho seco
Um corvo pousado -
Entardecer de outono.

Sob esta ameixeira
Até mesmo o boi vem dar
Seu primeiro mugido.

(Imagens: pinturas retratando Bashô)

0 comentários:

Postar um comentário