Os objetivos do milênio

quinta-feira, 13 de setembro de 2012
"A agressão física faz parte do ser humano. Apenas quando as pessoas alcançam certo padrão econômico, educacional e cultural é que esse traço é sufocado. À luz do fato de que 95 por cento do crescimento populacional da terra se dará nas áreas mais pobres do globo, a questão não é se vai haver guerra (haverá muitas), mas de que tipo."  -  Robert D. Kaplan  -  À beira da anarquia
 
Tema pouco tratado nos últimos anos pela imprensa - mesmo pela mídia especializada - a questão dos Objetivos do Milênio volta a ocupar espaço nos debates. As metas, estabelecidas pelos países membros da ONU em 2000, reune um conjunto de propostas, que deveriam ser cumpridas pelos países até o ano de 2015. Os oito principais objetivos são:
Objetivo 1 – Erradicar a pobreza extrema e a fome
·         Diminuir em 50% entre, 1990 e 2015, o número de pessoas com renda inferior a 1US$ ao dia;
·         Reduzir pela metade, entre 1990 e 2015 a proporção de pessoas que passam fome;
Objetivo 2 – Universalização da educação primária
·         Assegurar que até 2015 todas as crianças, meninos e meninas, tenham condições de completar a educação primária;
Objetivo 3 – Promover igualdade entre os sexos e valorização da mulher
·         Eliminar a disparidade entre os sexos na educação primária e secundária, preferencialmente até 2005 e em todos os níveis de educação até 2015;
Objetivo 4 – Reduzir a mortalidade infantil
·         Reduzir entre 1990 e 2015 em dois terços a taxa de mortalidade infantil entre crianças com menos de cinco anos;
Objetivo 5 – Melhorar a saúde das gestantes
·         Reduzir em três quartos a taxa de mortalidade materna entre 1990 e 2015;
Objetivo 6 – Combater a AIDs, a malária e outras doenças
·         Parar e gradualmente reduzir a taxa de contaminação com AIDs até 2015;
·         Parar até 2015 e reverter a taxa de propagação da malária e outras doenças importantes;
Objetivo 7 – Assegurar a sustentabilidade ambiental
·         Integrar os princípios do desenvolvimento sustentável às políticas dos países e reverter a perda de recursos naturais;
·         Reduzir pela metade até 2015 a proporção de pessoas sem acesso à água e ao saneamento;
·         Alcançar até 2015 melhoria significante na vida de pelo menos 100 milhões de moradores de favelas;
Objetivo 8 – Desenvolver parcerias globais para o desenvolvimento
·         Desenvolver sistemas de comércio e financiamento claros, previsíveis, regulados e não discriminatórios (incluindo comprometimento com boa governança, desenvolvimento e redução da pobreza – nacional e internacionalmente);
·         Contemplar as necessidades dos países menos desenvolvidos (exportação livre de cotas e tarifas, redução de débitos);
·         Contemplar as necessidades especiais de países sem acesso ao oceano e ilhas-estado em desenvolvimento;
·         Atuar de maneira compreensiva com os débitos dos países em desenvolvimento;
·         Em cooperação com países em desenvolvimento implementar estratégias visando proporcionar trabalho decente e criativo para jovens;
·         Em cooperação com indústrias farmacêuticas proporcionar acesso a medicamentos essenciais;
·         Em cooperação com empresas privadas, tornar acessível a todos os benefícios das novas tecnologias, especialmente informática e telecomunicações.
Grande parte dos objetivos, já sabemos de antemão, não será cumprida. A crise da economia mundial que se arrasta desde 2008, afetando principalmente os países pobres e em desenvolvimento - considerados os principais alvos das metas -  não deve diminuir durante os próximos anos. Mesmo os países ricos, como os Estados Unidos e diversos países europeus, estão vendo seus indicadores sociais piorarem.
O Brasil apresentou vários avanços, seja em relação à distribuição de renda, quanto ao combate de doenças endêmicas. Mesmo assim, ainda existe muita pobreza, falta de saneamento, a educação ainda vai mal das pernas, o número de assassinatos sem solução aumenta assustadoramente, entre algumas mazelas.  
(Imagens: fotografias de Ana Güller)

0 comentários:

Postar um comentário