Normas e padrões de qualidade

sábado, 6 de agosto de 2011
"Qual é a diferença entre Zeus e os homens? Ao se dizer Zeus, pensa-se em todos os que são arrastados pelo movimento que nunca se detém. Deuses e homens são levados pelas águas do mesmo rio."  -  Donaldo Schüler  Heráclito e seu (dis)curso

As normas de procedimento ou de padrões de qualidade já existem há muitas décadas. A crescente complexidade das atividades industriais e comerciais, aliada às exigências cada vez maiores com relação à qualidade, prazos e custos, fez com que se criassem normas técnicas para avaliar serviços, produtos e processos nas organizações em geral.
A questão da normatização da gestão empresarial teve uma evolução crescente. Na década de 1980 a novidade era a gestão da qualidade de produtos e serviços, padronizados pelas normas da série ISO 9000. Já na década de 1990 foi a vez da gestão ambiental ganhar gradativamente importância, amparada pelas normas da série 14.000. Nos últimos dez anos a questão da responsabilidade social adquiriu importância crescente. O princípio básico por trás deste desenvolvimento é a idéia de que as organizações começaram a se preocupar com seus produtos e serviços (9000), passando pelos impactos de suas atividades no meio ambiente (14000), para finalmente focar também as questões sociais, que direta ou indiretamente influem nas atividades do empreendimento. A organização, adotando os corretos procedimentos e alcançando determinados padrões de qualidade comprovados por uma auditoria, recebe um certificado atestando que cumpre suas metas preestabelecidas.
De desenvolvimento mais recente que as demais, as normas de responsabilidade social são bastante diversificadas, cada uma com um determinado enfoque. A SA 8000, por exemplo, é uma ferramenta normativa que estabelece padrões para as relações de trabalho, preocupando-se com temas como a mão-de-obra infantil e escrava; as condições de higiene e segurança; a discriminação; a duração da atividade e a remuneração. Já a norma NBR 16001 tem validade apenas no Brasil e permite à organização a implementação de uma política preocupada com as questões da cidadania, da transparência, e do atendimento à legislação trabalhista, entre outros aspectos.
A mais recente norma internacional de responsabilidade social é a ISO 26000, desenvolvida com a participação de diversas organizações públicas, privadas e do terceiro setor de vários países. A ISO 26000 é uma norma de desempenho e não prevê uma certificação no mesmo formato das outras. Em relação às demais, sua abrangência é bem mais ampla e representa uma verdadeira mudança de mentalidade nas organizações. Alguns tópicos tratados por esta norma referem-se a temas como os dos direitos humanos (direitos políticos, econômicos e civis); das práticas de trabalho (condições de trabalho e proteção social); do meio ambiente (proteção dos recursos); das práticas leais de operação (concorrência leal, práticas anticorrupção); questões de consumo (marketing honesto, qualidade dos produtos); do envolvimento comunitário (preocupação com a sociedade) e da governança organizacional (a incorporação destas práticas à gestão da empresa). 
A adoção de normas de qualidade, meio ambiente e, principalmente, de responsabilidade social, é cada vez mais importante para as empresas e para a sociedade. Uma empresa que se compromete a seguir determinados padrões nestas áreas está contribuindo - na medida de seus esforços - para tornar a sociedade mais justa e humana. Quanto mais as empresas e organizações se esforçarem por alcançar padrões de operação elevados, tanto melhor a qualidade de vida nas sociedades.
(imagens: galáxias)

0 comentários:

Postar um comentário